UMA IDEIA TRANSFORMADA EM OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO

 

Para se iniciar qualquer EMPREENDIMENTO precisamos de uma ideia que seja transformada em oportunidade negócio. Veja o artigo abaixo que retirei de um material do SEBRAE NACIONAL.

Artigo: Como saber se uma ideia é maluca ou genial?

Deu na Fast Company1: uma empresa japonesa está trabalhando na criação de um eleva- dor espacial, capaz de levar passageiros até o espaço sideral, a uma velocidade de 200 km/h. De acordo com os executivos da Obayahi, o elevador, que utilizará energia magnética, deve ficar pronto até 2050. Maluquice ou inovação? Somente o tempo dirá. A verdade é que o mundo empreendedor está repleto de ideias tão ou mais malucas do que essa. Só que, na maioria das vezes, estas ficam abandonadas em uma gaveta – quando pode- riam se transformar em produtos originais e lucrativos. A grande questão é: como saber se uma ideia é genial ou simplesmente maluca?

Segundo o consultor Kaihan Kripendorff, especialista em inovação e colunista da Fast Company, existe um método bastante eficaz para fazer a distinção. Com essa ferramenta, seria possível estabelecer quais ideias realmente valem a pena, antes de partir para pesquisas de mercado e criação de protótipos.

O primeiro passo é avaliar a ideia segundo dois critérios: impacto e viabilidade. Para medir o impacto, imagine que você tem na mão uma varinha mágica, capaz de concretizar qualquer ideia em questão de segundos. Então, reúna todas as ideias apresentadas por seus sócios e funcionários e responda às questões a seguir. Qual dessas ideias teria mais impacto sobre os lucros da empresa? Qual delas ajudaria o negócio a crescer? Usando esse critério, classifique as ideias em alto impacto, impacto médio e baixo impacto.

1 Revista americana com foco editorial em inovação e tecnologia, ethonomics (economia ética), liderança e design – http://fastcompany.com.

Depois, passe para a viabilidade. Avalie o grau de dificuldade de cada proposta. Quanto custa colocar a ideia em prática? Com que rapidez isso pode ser feito? Sua empresa tem capacidade e conhecimento para implementá-la? Qual a complexidade da sua execução? Usando esses critérios, classifique as ideias em alta viabilidade, viabilidade média ou baixa viabilidade. Juntando as duas avaliações, você poderá classificar as ideias em quatro tipos.

Vencedoras
São as que têm alto impacto e alta viabilidade. Coloque esses projetos na rua imediatamente.

Corretas
São ideias fáceis de executar, mas que não terão alto impacto sobre a situação da empresa. Você pode até colocar em prática, mas não deve ser sua prioridade.

Nocivas
São ideias de baixo impacto e baixa viabilidade, ou seja, difíceis de realizar. Jogue fora imediatamente, para evitar o desperdício de recursos.

Malucas
Apresentam baixa viabilidade, mas teriam um alto impacto sobre os lucros e o crescimento da empresa. A maioria dos empreendedores tende a descartar esse tipo de projeto, pois acha que são uma perda de tempo. Já os mais ousados se debruçam sobre essas ideias, investindo tempo e recursos para torná-las realidade. Elas descobriram que a verdadeira fórmula da inovação está em transformar ideias “malucas” em ideias “vencedoras”.

Escrito por Marisa Adán Gil em 06/03/2012.

 

A partir da transformação da ideia em oportunidade, um olhar mais atento a ela poderá direcionar a tomada de decisão pela concretização da mesma, avaliando previamente:

¯ Qual a real demanda (ela existe mesmo?)?
¯ Quais as reais necessidades e expectativas do público-alvo?
¯ Como é a concorrência (quantidade e estratégias)?
¯ Quais são os fornecedores e condições de fornecimento?
¯ Quantas pessoas e com qual perfil precisarei junto comigo? Qual a estrutura mínima para tal atividade?
¯ Qual é o investimento necessário e o período de retorno estimado?
¯ Qual a estratégia inicial pensada para a atividade empreendedora?

João Lavor

João Lavor

Contador Prof. Dr. João F. de Lavor – Life Coach, Doutor em Educação, Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Contador e Pedagogo.

Website: http://www.joaolavor.com.br

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *